Recapagem é sinônimo de sustentabilidade!

Há 16 anos, a Unicap Recapagem se empenha em oferecer economia, qualidade e segurança para os nossos clientes, e há 05 adota medidas sustentáveis e práticas que corroboram para o projeto de um mundo melhor.

Por isso, a bióloga Paula Fernandes dos Santos, especialista em Gestão Ambiental e com mestrado na área de restauração e conservação de ecossistemas, é a responsável por acompanhar a Unicap Recapagem desde o início do seu processo de regularização ambiental.

Por isso, confira a entrevista com a Paula para saber mais sobre como a Unicap ajuda o Meio Ambiente!

  1. Paula, como foi o processo de Licenciamento Ambiental da Unicap?

    Obter a concessão da Licença Ambiental para a Unicap foi muito tranquilo, porque tudo o que foi solicitado à empresa referente a normas ambientais e normatização técnica, foi cumprido. 
  1. E como funciona o processo de regulamentação da empresa?

A Unicap Recapagem, atualmente, possui 3 esferas de regulamentação: 

  • Municipal: (temos o Alvará de Funcionamento pela Prefeitura de Formiga) – ou seja, todo ano é necessário reportar análises, certificados e destinação de resíduos para a prefeitura -.
  • Estadual: (Licença Ambiental Estadual – válida durante o período de 10 anos -,  a Declaração de Carga Poluidora – , que representa o quanto do nosso esgoto, por exemplo, representa potencial de poluição no estado como um todo quando é lançado na rede pública; O Instituto Estadual de Florestas, trabalhando com a parte de regularização da lenha utilizada – renovado anualmente junto com o envio das Notas Fiscais para averiguar se a madeira utilizada é nativa ou plantada – ,pois só utilizamos a lenha plantada -.
  • Federal: Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais (IBAMA), pois todas as atividades ou empreendimentos que exercem atividades potencialmente poluidoras, pela Política Nacional do Meio Ambiente, precisam pagar uma taxa de controle e fiscalização ambiental, a PCFA, referente a qualquer utilização dos recursos naturais..
  1. Paula, no seu ponto de vista, em prol da preservação do meio ambiente, o que é melhor para as transportadoras: um pneu novo ou recapado?

    Independente do motivo: economia, meio ambiente ou logística, o pneu recapado atende muito bem o custo-benefício de uma transportadora. Afinal, se a empresa for levar em conta somente o ponto de vista ambiental, a preferência já se dá por um pneu recapado (pois se usa menos recursos naturais e é um processo de reutilização).

Agora, se for levar os outros critérios em consideração (economia e logística), o pneu recapado também será a opção mais indicada, já que obedece os mesmos critérios de qualidade de um pneu novo. Afinal, para rodar na estrada, é preciso obter a certificação do Inmetro. Olhando todos estes pontos, se opta pelo pneu recapado, pois ainda por cima, se observa que o produto que passa pela recapagem pode gerar mais rendimento do que um pneu novo.

  1. Mas e quando o pneu já atinge seu limite de recapeamento? Como fazer o descarte desta carcaça?

Antes de iniciar qualquer processo, o pneu é inspecionado. Se o nosso especialista vê que aquele pneu não aguenta uma recapagem, ele é imediatamente devolvido à transportadora, que precisa comunicar ao fabricante do pneu, suas condições. Até porque, pela pela Política Nacional de Resíduos Sólidos e pela Legislação específica do setor, a responsabilidade de um pneumático é totalmente do fabricante. Além do que, a cada pneu novo, ele precisa voltar com dois pneus para a destinação final. Então mesmo o pneu inservível possui um destino sustentável, que é a sua reciclagem.

  1. Quais resíduos sólidos uma recapagem pode ter, ainda que o processo seja sustentável?

O principal resíduo da recapagem é o pó de borracha, proveniente do processo de raspagem da banda de rodagem. Porém, ele vira um subproduto que vendemos para uma empresa licenciada, que dá o destino correto ao produto. Além da borracha, as cinzas geradas na caldeira (provenientes da combustão da lenha reflorestada) também são resíduos. No entanto, estas cinzas são orgânicas, e, embora a destinemos para uma empresa especializada, também poderiam ser utilizadas em áreas de reflorestamento, por não serem poluentes. 

Tambores de cola são resíduos perigosos, e na Unicap também temos uma empresa (regularizada) específica que recolhe e faz toda a incineração destes tambores.

Já materiais de uso doméstico, como papéis, plásticos e etc, são encaminhados para uma associação de catadores, e os resíduos orgânicos são destinados  à prefeitura, que possui um aterro sanitário próprio para a destinação correta desses materiais. Então, todos os resíduos provenientes da recapagem de pneus atualmente já possuem um destino ecológico.

  1. Um grande gasto em uma empresa como a Unicap é a energia. Quais tipos vocês utilizam?

Utilizamos dois tipos de energia: solar e térmica. A primeira é renovável através do painel fotovoltaico, e as lenhas para a combustão das caldeiras são reflorestadas. 

  1. O que você indica para uma transportadora que deseja fazer mais pelo Meio Ambiente?

Uma empresa que cuida do Meio Ambiente é aquela que busca ser sustentável em toda a sua gestão. Então, que ela continue economizando e buscando sempre pelo uso máximo do produto, que continue reciclando e se preocupando com o Meio Ambiente. Quanto aos pneus inservíveis, evitar fazer estoques e tentar a destinação correta dos pneus através do fabricante.